Hoje venho falar sobre minha série de livros favoritos, que no último dia 13 ganhou uma temporada original Netflix: Desventuras em Série.

Consigo descrever em uma palavra: Genial! Desventuras em série foi o que despertou meu amor pela leitura. Foram os primeiros livros que eu li loucamente esperando o final. E sempre esperei uma adaptação à altura para esses livros (Em 2005, Jim Carrey estrelou uma versão cinematográfica dos três primeiros livros da série, no papel de conde Olaf).

Sobre os livros…

São 13 livros que contam a história dos irmãos Baudelaire: Violet, Klaus e Sunny, que ficam órfãos logo no primeiro livro (Mau começo) e passam de tutor em tutor, sendo sempre perseguidos pelo vilão conde Olaf.

Os livros são escritos por Daniel Handler, com o pseudônimo de Lemony Snicket, e a genialidade já começa aí. “Lemony Snicket” é extremamente irônico em todos livros, e os dedica a sua amada morta. Ele começa os livros avisando para não os ler, e sempre avisa o leitor que coisas infelizes estão por vir e que é o leitor quem escolhe continuar lendo. Trechos como o seguinte são comuns:

“Quanto a você, entretanto, nada impede que se entregue a uma bela noite de sono tranquilo. Para conseguir isso, eu sugeriria: escolha um outro livro”

Além da ironia constante nos livros, posso chegar a uma conclusão: Se você ler Desventuras em Série encarando a história como uma historinha de crianças, você vai ter chegar no final e ver que foi um bom passatempo. Agora, se você ler afundo, percebe que críticas a sociedade estão presentes constantemente: como o sistema de adoção e herança é falho, trabalho escravo, bullying, preconceito, sistema educacional, sistema judiciário, entre outros.

A série joga mistério atrás de mistério, daqueles difíceis de escapar ou resolver, mas que as crianças sempre dão um jeito. Porém, a narrativa não fica cansativa após a resolução de cada desventura, e praticamente nunca acontece o esperado.

A narrativa acontece de forma muito negativa. Snicket reforça todo o tempo de como os Baudelaire são infortunados. Mas isso é proposital. Na nossa vida, muitos dos problemas acontecem devido a forma que o encaramos. Ao encarar o azar dos órfãos com tanto pessimismo, a história se torna mais triste ainda!

O final dos livros fechou os pontos da história, e aconteceu da forma que devia acontecer. Não tenho o que reclamar da série. Se você gosta de ler, acredito que valha muito a pena a leitura.

Agora sobre o seriado…

Desde quando a Netflix anunciou a produção de Desventuras, eu já fiquei emocionada, porque Netflix não faz coisa mais ou menos, é tudo sempre muito bem produzido.

Quando fiquei sabendo que Neil Patrick Harris seria o conde Olaf, quase tive um ataque de felicidade, pois sou fã dele desde How I Met Your Mother. Quando saiu o primeiro teaser e depois o trailer do seriado, eu assisti várias vezes ansiosa pelo que estava por vir no dia 13 (sexta-feira 13, genial!). Assim, fiz maratona no final de semana, e enfim, assistido!

A série superou todas minhas expectativas. Me deixou feliz mesmo. Feliz por ver os pequenos detalhes e a mega produção.
Fiquei mais feliz ainda com a atuação do Neil Patrick. Ele é sensacional (legendary!). Em todos episódios, mas principalmente no episódio 5, ele está muito engraçado com suas expressões, que achei melhor do que a atuação do Jim Carrey alguns anos atrás.

Gostei muito da forma exagerada do Conde Olaf, na forma de andar, de contracenar. Em vários momentos parecia que estava assistindo um desenho, por causa das fisionomias exageradas, da credibilidade que o Conde Olaf passava com seus disfarces ridículos, o fato de todos não acreditarem nas crianças… O que deixou a série mais divertida com esse humor absurdo.

As crianças interpretadas por Malina Weissman e Louis Hynes fizeram um excelente trabalho, são expressivas, atuam impecavelmente. Lemony Snicket interpretado por Patrick Warburton deixa a série mais envolvente, pois o narrador reforça que você não deve assistir, devido as desventuras seguidas que acontecem, e dá um drama a mais na série.

E por último, por mais que você não tenha lido, vale a pena assistir… Para conhecer a história, ver a produção excelente, que constou em 8 episódios narrando até o quarto livro… O que permitiu a exploração da história, não decepcionando nós, velhos fãs de desventuras em série.

Que venha a próxima temporada!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Gabriele Sauthier
Com 23 anos é formada em Biologia, mas apaixonada por animais desde criança. Sempre a mais alta da turma, ama estar com os amigos e também ama dias nublados, tocar violão, café e livros. Procurando sempre estar em contato com a natureza, admira as flores e qualquer ser vivo.

COMENTÁRIOS