O amor não consiste na ausência de conflitos, mas na habilidade de lidar com eles.

O amor não é sinônimo de ausência de tempestades, é um equivoco pensar que o amor não tem lá os seus dias ruins. Nesses dias que a gente está exausto do trabalho, dos problemas e das discussões desnecessárias o amor é a capacidade de ser abrigo quando tudo parece ser vendaval.

O amor é aquele chocolate quente em um uma manhã fria de inverno de quando dispomos do nosso tempo para acolher a dor do outro mesmo quando tudo parece corrido demais em nossas vidas.

Amor é sobre preparar o jantar, esquecer de colocar sal na comida e rir disso como quem prefere pedir pizza. Sem culpados, sem precisar jogar a culpa em alguém sabe? É queimar as torradas porque acordou atrasado e dizer que na verdade está no ponto porque sabe que o outro está dando tudo de si.

É quando tudo está dando errado, o seu chefe ergueu o tom de voz com você no trabalho, o cartão estourado, a semana que parece não terminar nunca e os problemas que insistem em fazer morada. E então, mesmo tendo coisas para serem discutidas, a gente deixa de lado as cobranças e termina a semana sendo abrigo, fazendo companhia, comprando pão francês na padaria pra comer com carne moída e não esquecendo da tubaína. Afinal, amor também é renúncia.

Amor é sobre quando você tira uma nota baixa na faculdade e precisa estudar muito para recuperar e o outro decide passar o domingo com a cara nos livros junto com você, tomando a matéria como quem parece entender tudo sobre o assunto, mas na verdade só entende o quanto você precisa desse apoio. Amor também é parceria.

É quando as diferenças depois de um tempo começam a falar mais alto e você interrompe uma briga com um beijo como quem diz: Nós não vamos brigar por isso. Afinal, amor também é sabedoria.

O amor não dá as costas quando o outro não está bem, o amor não foge quando as coisas vão mal. Quem ama é presença, é presente. O amor é sobre aquele tempo que a gente tira no meio do dia pra dizer “bom dia” ou ligar pra saber se você melhorou da gripe e se conseguiu dormir bem à noite. O amor não consiste na ausência de conflitos, mas na capacidade que temos e aprendemos em lidar com cada um deles, não deixando que o amor acabe por qualquer coisa. Afinal, amor também é luta.

Publicado por

Thamilly Rozendo

Thamilly Rozendo

Estudante de psicologia, 22, é aquela que escuta mil vezes a mesma música e tem a risada escandalosa. Não dispensa um sorvete e adora um pastel de feira com muito catupiry, mesmo sendo intolerante a lactose. Encontra paz na oração e vê amor nos pequenos detalhes.