Quantas vezes sonhamos com o amor, aqueles tipo de contas de fada, típico de filmes Hollywoodianos, onde o rapaz é lindo, charmoso, romântico, faz de tudo para conquistar a amada, os dois se apaixonam e vivem uma paixão avassaladora e sem fim, entre tapas e beijos, idas e vindas, no final o destino se encarrega de uni-los para que possam viver felizes para sempre.

Há aqueles românticos que sonham em viver um romance assim, há outros que são mais racionais acreditando que romances desse tipo não existem na vida real. Mas independente no que acredite, uma coisa é certa, o amor chega para todos.

Confesso que sou do tipo mais racional, acreditava que estava aberta ao amor, porém muitas vezes pensei que ele nunca fosse chegar, a história era sempre a mesma. Como me apaixono por alguém e esse alguém não se apaixona por mim? Por que não consigo corresponder o amor de outros? Por que em filmes o amor sempre é correspondido e na vida real tem que ser diferente? Isso confirmava a minha tese, de que o amor demonstrado em filmes são muito romantizados e que na vida real é bem diferente. Então muitas vezes pensei em desistir do amor, afinal, quem nunca pensou em desistir de encontrar alguém para amar e ser amada?

Acredite, muitas vezes achamos que estamos abertos ao amor, mas na verdade não estamos, criamos barreiras, empecilhos, buscamos sempre alguém para preencher nossas carências emocionais. Idealizamos uma pessoa, a qual queremos ter ao lado, e achamos que somente assim conseguiremos amar e ser amados. Quantas vezes dobramos os joelhos no chão pedindo a Deus uma pessoa, mas quando esta pessoa chega, deixamos ela passar. Você já parou para pensar que por muitas vezes pôde ter deixado o amor passar?

Depois de muito tempo percebi que o amor havia batido várias vezes na porta do meu coração, mas não abrira para ele entrar, pois estava confundindo o romantismo com amor, achava que assim como em filmes, um dia iria aparecer o cara “perfeito” como havia idealizado. Mas percebi que aqueles que não foram aceitos dificilmente iriam voltar.

Afinal o queremos? Encontrar alguém que corresponda nossas expectativas, ou sermos amados? Homens “perfeitos” apareceram, mas o egoísmo não permitiu que eles entrassem. Assim que meus olhos se abriram, passei a perceber que havia conhecido homens de caráter, íntegros, de valor, românticos, prontos para me amar e me fazer feliz. Então decidi que na próxima vez que ele aparecesse iria abrir a porta e deixá-lo entrar.

E foi assim que aconteceu, o amor chegou, devagarzinho, como quem não quer nada, então abri a porta para ele entrar, quando ele entrou me fez aprender que o amor é racional, que não existe a pessoa perfeita, mas existe a pessoa  que pode  te valorizar, te incentivar, te ajudar, te dar apoio, te fazer feliz, e principalmente lhe fazer sentir-se amada. Sim, você pode viver o amor  e ser feliz, mas para isso precisa abrir o coração e deixá-lo entrar, precisa deixar ele mostrar o que tem a lhe oferecer. Acredite, você poderá surpreender-se.

Imagem: @perazzoli / Eduardo Perazzoli

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Jessica Rodrigues
Psicóloga, apaixonada pela vida, a qual procura aproveitá-la ao máximo. Sua filosofia é ser sempre a melhor versão de si, a fim de somar a vida de outros.

COMENTÁRIOS