Lembro-me como se fosse ontem o meu primeiro amor. Me encontrar com Jesus pela primeira vez, sentir aquele amor, aquela paixão, a vontade de tê-lo pertinho, conhecê-lo e chamá-lo de amigo.
Sabe quando você quer estar junto de alguém o tempo todo? Sabe quando faz tudo para impressionar uma pessoa e chamar a sua atenção? Foi assim nos primeiros momentos da nossa amizade. Ler a bíblia, orar, buscar ter intimidade era o que mais me deixava feliz.

Mas o tempo foi passando e os dias ficaram mais intensos, quase não tinha mais tempo para falar com Deus. Ia a igreja uma vez na semana, aos domingos, como uma forma de compensar a minha falta com Ele. Além do mais, se vou a igreja, as pessoas não irão me cobrar, não irão questionar a minha espiritualidade. Mas espiritualidade é aquela coisa particular, só sabe você e Deus.

Por não buscar mais a palavra fui ficando fraco, os problemas vinham e tomavam conta do meu ser. Não conseguia enfrentá-los com sabedoria. Então comecei a procurar suprir os desejos da minha carne, porque assim seria mais fácil enfrentar a vida, além do mais eu não escutava mais a Deus. Mal eu sabia que tinha aberto uma brecha para que o inimigo falasse coisas a meu respeito e a partir de então me senti envergonhado. Envergonhado das coisas que eu estava fazendo. Envergonhado de me dizer cristão e não mostrar isso.

Não confiava mais em Deus, me envolvi com pessoas erradas. A minha fé e esperança foi-se indo aos poucos. Meus amigos eram legais, ir à festa era legal, não seguir ” regras” também. Porém o vazio começou a aumentar e um dia senti falta de casa. Senti falta do meu Pai, de conversamos, de andarmos juntos. Mas como eu poderia voltar daquele jeito?

Ora, lembrei da passagem do filho pródigo, onde o filho foi recebido de volta com tanto amor, da mesma forma com que tinha ido embora. Meu coração se encheu de alegria e as lágrimas rolaram pelo meu rosto. Era Ele me chamando para voltamos como no início. Que amor é esse que constrange!

Bom, esse testemunho não é meu, mas pode ser o seu. Você pode estar sentindo falta de algo, que talvez você não saiba ao certo o que é. Um dia você pode ter andado no caminho do Pai, mas por alguma razão se distanciou dele. Sabe o que eu tenho para te falar? “Apressa o passo.” Vai correndo, sem medo de ser julgado, sem orgulho, sem vergonha, apenas com o coração derramado. Vai, volta, agora é a hora. Não importa quantas vezes você falhou, Deus te espera de braços abertos.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Maria Clara
Fortalezense, 23 anos, estudante de engenharia. Misturo os números com as letras, talvez porque eu goste um pouco de tudo. Amo as coisas simples e os sentimentos que elas me proporcionam como estar com a família, amigos e tomar sorvete num dia quente. O que mais busco é ser semelhante a Cristo, e refletir esse amor que um dia me alcançou.

COMENTÁRIOS