“Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.” (Gênesis 3:7)

Quem me conhece sabe que eu sou apaixonada por História da Moda! E quando os fatos dessa área que eu amo coincidem com os da Bíblia, aí é felicidade certa! Hoje eu não venho aqui trazer nenhuma dica de look, nem peça coringa que toda menina deve ter. Hoje o meu intuito é fazer vocês (inclusive eu) pensarem. Já peço desculpas se algumas ficarem com um certo incômodo, mas é que só assim pra pensarmos em coisas que talvez não paramos no nosso dia a dia para pensar… Vamos a reflexão então:

A primeira intenção de cobrir o corpo, lá no Éden, foi pelo caráter de pudor. Após o pecado, a “malícia” que o homem não tinha passou a ter e aí, onde ele não via problema algum, começou ver, e nesse momento sentiu vergonha e timidez. Depois de serem expulsos do Paraíso, tendo que trabalhar e sofrendo com as intempéries do clima, aperfeiçoaram as vestimentas já que agora a intenção de se vestir era para se proteger. Ou seja, o clima, o lugar onde moravam, a atividade que exerciam (caça, pesca, etc.) influenciava diretamente nas roupas.

O mundo evoluiu, as circunstâncias mudaram, e após um tempo, o intuito de se vestir era puramente pelo caráter de adorno. Sabe aquela coisa de se aparecer? De querer se mostrar? De se vestir puramente pra “causar”? Exatamente isso! Dá pra ver nitidamente nos filmes de época, aqueles vestidos extravagantes, aqueles penteados mirabolantes! Tudo bem desnecessário, mas que enchia os olhos.

Mas daí vem a pergunta: o que isso tem a ver com o modo como nos vestimos hoje, Melissa? TU-DO! Continuamos nos vestindo pelos mesmos motivos: pudor, proteção e adorno. Costumo dizer que atualmente nos vestimos por mais um motivo: pertencimento. Quantas vezes na hora que você foi sair não mandou um WhatsApp pra sua amiga perguntando com que roupa ela ia? E ai resolveu ir parecida com ela só pra não ser a única ~diferentona~ da turma? Confesso que já me peguei fazendo esse tipo de coisa, hoje em dia eu já aceito bem melhor o fato de que na maioria das vezes, quase todas, eu me visto diferente dos outros mesmo, e tudo bem, cada um tem seu estilo.

Mas a questão é: para que estamos nos vestindo?

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (Co 10.31)

O ponto de partida para quando vamos nos vestir, é saber a real intenção por trás daquela roupa. E isso é muito sério. Sério porque deveríamos entender que a principal intenção ao nos vestirmos teria que ser agradar a Deus, e não ficar provocando um cara que gostaríamos que olhasse para nós (provocando tá gente? Isso não quer dizer que você tem que se vestir mal), ou causar inveja em alguém, por exemplo. Temos que entender de uma vez por todas que a maneira como nos vestimos também é uma forma de honrar e glorificar a Deus, e esse deve ser nosso maior intuito. Louvar a Deus não quer dizer só cantar hinos ou ler a Bíblia, quer dizer que tudo o que eu fizer é para honrar o nome dEle!

Nossa roupa é nosso cartão de visita, então pense bem o que você está mostrando ao mundo.

E só lembrando: estamos aqui para NOS ajudar, ok?

Até a próxima!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Melissa Mezoni
Paranaense de coração, 23 anos, estilista. Apaixonada por moda, beleza, música, livros e hambúrguer... Adoro compartilhar dicas sobre tudo e acredito que a roupa que vestimos diz muito sobre nós.

COMENTÁRIOS